#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul


ARTIGOS


Alterações morfológicas de frangas marrons em fase de recria recebendo aditivos funcionais em substituição a antimicrobianos

Autores
José Evandro de Moraes, Sadala Mehesen Cruz Tfaile, Carla Cachoni Pizzolante, Sérgio Kenji Kakimoto, Daniela Fagotti Soares, Natália Yoko Sitanaka

Resumo

A eficiência e a produtividade das aves são asseguradas com a utilização de promotores de crescimento que são imprescindíveis na cadeia avícola rentável, pois controlam as doenças. Até hoje o mecanismo de ação destas substâncias é motivo de controvérsias. Segundo Sunde et al., 1990 citado por Dematté (2004), de modo geral, seus efeitos podem ser agrupados em três categorias: metabólico, nutricional e controle de doenças. Destes, admite-se que o modo de ação primário é o controle de doenças, promovendo equilíbrio na microflora gastrintestinal, reduzindo as bactérias indesejáveis (Gram +) e favorecendo a colonização das desejáveis (Gram -). Esse mecanismo de ação é explicado pelo fato de que ocorrem melhores respostas ao uso de antimicrobianos em animais jovens em relação aos mais velhos, em meio ambientes mais contaminados do que nos limpos e em animais com menor resistência a doenças do que nos mais saudáveis. Por outro lado, a manipulação inadequada da flora bacteriana nociva através do uso de promotores de crescimento, quimioterápicos e/ou antibióticos em doses preventivas, pode induzir o desequilíbrio da flora bacteriana e desencadear processos entéricos devido às interações indesejáveis com outros patógenos (HOEMBERG et al., 1984 citado por DEMATTÉ, 2004). Devido a pressão popular pela substituição dos antimicrobianos por melhoradores de crescimento pesquisas vem sendo realizadas principalmente por meio de utilização de produtos alternativos viáveis (ALBUQUERQUE, 2005). Essas pesquisas têm procurado desenvolver produtos que possam ser utilizados como substitutivos aos antimicrobianos, dentre eles se encontram os probióticos que tem demonstrado ação antimicrobiana, promovendo melhora no desempenho e na resposta imune animal, e segundo Brenes & Roura (2010), os aditivos alternativos são reconhecidos como seguros pelo consumidor por serem livres de resíduos. Em função do exposto objetivou-se com o presente estudo avaliar o desempenho de frangas marrons em fase de recria recebendo aditivos funcionais em substituição a antimicrobianos.

Íntegra (PDF)

Veja todos os artigos



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir