#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul


ARTIGOS


Tolerância ao calor em ovelhas lanadas e deslanadas, em Nova Odessa, Estado de São Paulo

Autores
Cecília José Veríssimo

Resumo

Pesquisadora Científica, Médica Veterinária
Instituto de Zootecnia (APTA/SAA), Nova Odessa, SP
 
A preocupação sobre a adaptação dos animais ao calor é pertinente e atual, em face do problema maior que afeta todos os seres do planeta, o aquecimento global. Os ovinos (Ovis áries, L.) estão bem adaptados tanto ao frio quanto ao calor, e apresentam temperatura média de 39ºC durante o dia, com uma variação fisiológica de 37,5ºC a 40,5ºC. A frequencia respiratória pode variar de 20 a 50, até 300 a 400 movimentos respiratórios por minuto, devido ao efeito do estresse por calor (Terrill, 1973, MacFarlane, 1965). Como o estresse por calor pode afetar significativamente a vida produtiva e reprodutiva dos ovinos (Veríssimo et al., 2009), é importante conhecer a resposta fisiológica de ovinos lanados e deslanados ao calor. A tese de doutorado (Veríssimo, 2008) estudou o tema tolerância ao calor em ovelhas lanadas (Suffolk, Ile de France e Texel) e deslanadas (Morada Nova e Santa Inês), criadas na cidade de Nova Odessa, região centro leste do Estado de São Paulo.

Íntegra (PDF)

Veja todos os artigos



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir