Produção, composição química e taxa de lotação de sistemas forrageiros constituídos por coastcross-1 sobressemeada com azevém e trevos

  • Michelle Schalemberg Diehl Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Clair Jorge Olivo Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Carlos Alberto Agnolin Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Gilmar Roberto Meinerz Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Vinícius Foletto Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Cláudia Marques de Bem Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Priscila Flôres Aguirre Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Tiago Luis da Ros Araújo Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Paulo Roberto Machado Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
  • Guilherme Mombach Universidade Federal de Santa Maria, Departamento de Zootecnia, Santa Maria, RS
Palavras-chave: fibra em detergente neutro, proteína bruta, vacas em lactação, trevo branco, trevo vermelho

Resumo

O objetivo dessa pesquisa foi avaliar a produção de forragem, os teores de proteína bruta e fibra em detergente neutro, e taxa de lotação de três sistemas forrageiros constituídos por Coastcross-1 (Cynodon dactylon L. Pers.) + azevém (Lolium multiflorum Lam., cv. Comum); Coastcross-1 + azevém + trevo vermelho (Trifolium pratense L., cv. Estanzuela 116) e Coastcross-1 + azevém + trevo branco (Trifolium repens L., cv. Yi). O experimento foi conduzido entre 26 de abril de 2007 e 22 de abril de 2008, sendo conduzidos 11 pastejos, seis no período hibernal e cinco no estival. Para avaliação foram utilizadas vacas em lactação da raça Holandesa que receberam suplementação alimentar com concentrado à razão de 0,9% do peso corporal/dia. Avaliou-se a massa de forragem de pré e pós-pastejo, as composições botânica e morfológica e os teores de proteína bruta e fibra em detergente neutro. O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com três tratamentos (sistemas forrageiros), duas repetições (piquetes) e avaliações independentes (ciclos de pastejos). No período hibernal foram observados resultados superiores (P<0,05) nos sistemas forrageiros consorciados com leguminosas para produção de forragem e taxa de acúmulo diário de matéria seca. Para a taxa de desaparecimento de matéria seca e taxa de lotação não foram observadas diferenças entre os sistemas forrageiros. Foi observado efeito residual do trevo vermelho sobre a Coastcross-1 + azevém, com valor superior (P<0,05) para o teor de proteína bruta e menor teor de fibra em detergente neutro.
Publicado
22-04-2014
Como Citar
Diehl, M., Olivo, C., Agnolin, C., Meinerz, G., Foletto, V., Bem, C., Aguirre, P., Araújo, T., Machado, P., & Mombach, G. (2014). Produção, composição química e taxa de lotação de sistemas forrageiros constituídos por coastcross-1 sobressemeada com azevém e trevos. Boletim De Indústria Animal, 71(4), 317-324. https://doi.org/10.17523/bia.v71n4p317
Seção
FORRAGICULTURA E PASTAGENS