Agonistas beta-adrenérgicos como aditivo para bovinos de corte

  • Marcelo Vedovatto Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Campo Grande, MS
  • Camila Celeste Brandão Ferreira Ítavo Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Campo Grande, MS
  • João Artêmio Marin Beltrame Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Campo Grande, MS
  • Ricardo Carneiro Brumatti Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Campo Grande, MS
  • Gumercindo Loriano Franco Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, Campo Grande, MS
Palavras-chave: novilhos, ractopamina, terminação, zilpaterol

Resumo

Os receptores de agonistas beta-adrenérgicos (β-AA) estão presentes em praticamente todos os tipos de células de mamíferos e são estimulados pelas catecolaminas (adrenalina e noradrenalina) produzidas pelo próprio organismo. Os agonistas β-AA são substâncias sintéticas com estrutura similar a estas aminas. Quando fornecidos na ração alteram a composição corporal dos animais, afetando a repartição dos nutrientes em favor da deposição proteica e diminuindo a lipogênese. Apesar dos mecanismos de ação não serem completamente entendidos, estes podem causar alterações morfofisiológicas, tais como o aumento do fluxo sanguíneo, a diminuição do nível plasmático de insulina, a diminuição da lipogênese e a hipertrofia muscular principalmente nas fibras do tipo II. Observam-se também alterações na motilidade do trato gastrointestinal e secreções, além da influência direta sobre as bactérias do rúmen, podendo alterar a digestibilidade da dieta. Os agonistas β-AA liberados em alguns países para utilização em bovinos de corte são o Cloridrato de Ractopamina e o Cloridrato de Zilpaterol. De acordo com dados de literatura, a inclusão destes aditivos na dieta de bovinos confinados tem sido relacionada com aumento na eficiência alimentar e ganho de peso diário, e igual ou menor consumo de ração. Nas características de carcaça tem sido observado aumento no peso das carcaças, e aumento da área de olho de lombo, porém com possibilidade de diminuição da espessura de gordura subcutânea e de marmoreio. Avaliações em painel sensorial da carne de animais consumindo agonistas β-AA mostraram diminuição na maciez, com igual ou menor suculência. Os agonistas β-AA melhoram o desempenho e as características de carcaça, porém mais estudos são necessários para comprovar se possuem influência negativa nas características organolépticas da carne.
Publicado
22-04-2014
Como Citar
Vedovatto, M., Ítavo, C., Beltrame, J., Brumatti, R., & Franco, G. (2014). Agonistas beta-adrenérgicos como aditivo para bovinos de corte. Boletim De Indústria Animal, 71(4), 396-406. https://doi.org/10.17523/bia.v71n4p396
Seção
NUTRIÇÃO ANIMAL

Artigos mais lidos pelo mesmo (s) autor (es)