Diferentes suplementos na terminação de bovinos Nelore em pastagem diferida de Brachiaria decumbens no período da seca

  • Antonio Tadeu de Andrade Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, SP.
  • Rodrigo César Rossi Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (EMATER), Curitiba, PR, Brasil.
  • Vinicius Pissinati Stival Estância Santo Heitor, Sales Oliveira, SP
  • Emanuel Almeida de Oliveira Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, SP.
  • Alexandre Amstalden Moraes Sampaio Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, SP.
  • Bruna Laurindo Rosa Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, SP.
Palavras-chave: casca de soja, pastagem diferida, período da seca, polpa cítrica, suplementação.

Resumo

Foi estudado em pastagem diferida de Brachiaria decumbens, o efeito de quatro tipos de suplementos na terminação de bovinos Nelore no período da seca. Utilizaram-se 64 animais da raça Nelore, machos castrados, com idade aproximada de 34 meses e peso corporal (PC) inicial variando de 360 a 380 kg, distribuídos inteiramente ao acaso em quatro tratamentos. Os tratamentos foram quatro formas de suplementação da pastagem: pasto diferido de Brachiaria decumbens + sal proteico energético mineral (SuPEM), considerado controle; pasto diferido de Brachiaria decumbens + ureia + farelo de algodão (28% PB) + milho grão moído (SuMi); pasto diferido de Brachiaria decumbens + ureia + farelo de algodão (28% PB) + polpa cítrica (SuPC); pasto diferido de Brachiaria decumbens + ureia + farelo de algodão (28% PB) + casca de soja (SuCS). A pastagem foi diferida por 170 dias e apresentou 3.482 kg MS/ha de forragem, permitindo 1,56 UA/ha (ingestão de MS de 2,25% do PC e 50% de eficiência de pastejo). Os animais receberam o suplemento ad libitum no tratamento SuPEM e em % PC nos demais tratamentos, de julho a outubro. Os animais foram abatidos com PC mínimo de 457 kg. Foram determinadas as variáveis: peso final (PF), ganho de peso no período (GPP), ganho de peso diário (GPD), peso da carcaça quente (PCQ) e rendimento da carcaça quente (RCQ). Na variável PF, o tipo de suplemento dos tratamentos SuMi, SuPC e SuCS, permitiu maior aporte de nutrientes, e assim apresentaram melhor desempenho (P<0,05) comparados ao tratamento SuPEM (média de 478,68 vs 412,62 kg). Esse mesmo efeito foi observado nos outros parâmetros estudados. Quando foi analisado o GPP e GPD, o tratamento SuCS foi superior (P<0,05) aos tratamentos SuMi e SuPC, em razão do aumento na oferta de concentrado, e o tratamento SuPEM foi inferior aos demais. O PCQ e RCQ foi maior no tratamento SuCS em decorrência do melhor desempenho, com 260,05 kg e 53,92%, respectivamente. A suplementação de bovinos no período da seca em pastagem diferida, com suplementos à base de milho, polpa cítrica e casca de soja, ofertados acima de 1,0% PC é capaz de promover ganhos expressivos de peso que permite o animal atingir peso de abate antecipadamente. A oferta de suplementos abaixo de 0,5% PC, em pastagem diferida para uso no período da seca, não é suficiente em promover ganhos de peso satisfatórios que possa atingir peso de abate.
Publicado
07-02-2015
Como Citar
Andrade, A., Rossi, R., Stival, V., Oliveira, E., Sampaio, A., & Rosa, B. (2015). Diferentes suplementos na terminação de bovinos Nelore em pastagem diferida de Brachiaria decumbens no período da seca. Boletim De Indústria Animal, 72(2), 91-101. https://doi.org/10.17523/bia.v72n2p91
Seção
NUTRIÇÃO ANIMAL