Inclusão do substrato de shimeji-preto na cinética de fermentação in vitro do feno de Brachiaria brizantha

  • Ricardo da Silva Oliveira Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF.
  • Sérgio Lúcio Salomon Cabral Filho Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF.
  • José Franklin Athayde Oliveira Universidade de Brasília, Faculdade de Agronomia e Medicina Veterinária, Brasília, DF.
  • Roberto Guimarães Júnior EMBRAPA Cerrado, Laboratório de Nutrição Animal, Planaltina, DF.
Palavras-chave: cinética ruminal, coprodutos, degradabilidade, micélio, Pleurotus ostreatus produção de gás in vitro.

Resumo

O objetivo desse trabalho foi estudar a inclusão do substrato exaurido de Pleurotus ostreatus na fermentação in vitro de dietas a base de feno de Brachiaria brizantha. O experimento foi realizado utilizando a técnica de produção de gases semi-automática, e o inóculo ruminal foi colhido de três bovinos fistulados mantidos em pasto de Brachiaria brizantha. Foi utilizado feno de Brachiaria brizantha e substrato exaurido da produção de Pleurotus para composição das dietas: SE (100% substrato exaurido), FB (100% feno de Brachiaria brizantha), SE5 (5% SE + 95% FB), SE20 (20% SE + 80%FB) e SE30 (30% SE + 70% FB). O experimento foi conduzido em fatorial 5x3 com cinco tratamentos e três inóculos ruminal. A cinética de degradação da matéria seca foi determinada após 96 horas de fermentação [D (96h)]. Não houve diferenças significativas para o volume acumulado de gases (A) para as dietas FB (262,6 mL/g MS), SE5 (284,3 mL/g MS), SE20 (256,6 mL/g MS) e SE30 (261,7 mL/g MS), indicando que a inclusão do substrato não afetou a fermentação do feno. A dieta SE apresentou menor volume de gás e menor degradabilidade com valores de 165,9 mL e 52%, respectivamente, indicando menor valor nutricional desse substrato em relação ao feno de Brachiaria brizantha, provavelmente pela ação de enzimas que degradam carboidratos estruturais presentes nos micélios do Pleurotus. A dieta SE apresentou menor tempo de colonização (L=2,6 h; P<0,05), o que pode ser atribuído a uma interação entre o micélio e o substrato, facilitando a sua colonização inicial. A inclusão do substrato exaurido não resultou em ganhos no crescimento e degradação microbiana em relação à dieta FB, entretanto parece ter favorecido a colonização inicial desse substrato. A utilização do SE não afeta negativamente a colonização, e a princípio pode ser utilizada como ingrediente em dietas de ruminantes.
Publicado
07-02-2015
Como Citar
Oliveira, R. da, Cabral Filho, S., Oliveira, J., & Guimarães Júnior, R. (2015). Inclusão do substrato de shimeji-preto na cinética de fermentação in vitro do feno de Brachiaria brizantha. Boletim De Indústria Animal, 72(2), 143-147. https://doi.org/10.17523/bia.v72n2p143
Seção
NUTRIÇÃO ANIMAL