Classificação e tipificação de carcaças bovinas na região oeste da Bahia em duas épocas do ano

  • Danilo Gusmão de Quadros Universidade do Estado da Bahia, Núcleo de Estudo e Pesquisa em Produção Animal, Barreiras, BA, Brasil.
  • Bruno Rodrigues Paes Engenheiro Agrônomo
  • Guilherme Augusto Vieira Qualyagro e União Metropolitana de Educação e Cultura, Salvador, BA.
  • Alexandro Pereira Andrade Universidade do Estado da Bahia, Núcleo de Estudo e Pesquisa em Produção Animal, Barreiras, BA.
  • Alisson Magalhães Miranda Engenheiro Agrônomo
  • Jorge Aurélio Macedo Araújo Engenheiro Agrônomo
  • Paulo Sérgio de Azevedo Universidade Federal da Paraíba, Areia, PB.
Palavras-chave: acabamento, conformação, maturidade.

Resumo

O resultado final de sistemas de produção de gado de corte é verificado nas carcaças. No Brasil, entretanto, é raro o frigorífico que separa os produtos conforme a qualidade, principalmente na região Nordeste. Objetivou-se com este trabalho avaliar as carcaças bovinas na região oeste da Bahia em duas épocas distintas do ano (chuvosa e seca) de acordo com o Sistema Nacional de Tipificação de Carcaças Bovinas (SNTCB). As avaliações foram realizadas em frigorífico sob Serviço de Inspeção Federal (SIF), em Barreiras, Bahia. Foram amostradas 1.000 carcaças, metade no período seco (agosto) e o restante no período chuvoso (dezembro). Os dados foram submetidos à análise estatística descritiva, obtendo-se média e erro padrão de cada variável-resposta. A época do ano não influenciou o abate em relação ao gênero dos animais, havendo equilíbrio entre machos inteiros (44%) e fêmeas (42%), com pouca participação de machos castrados (14%). O grau de maturidade dos animais abatidos foi elevado, sendo que cerca de 70% possuía acima de quatro dentes incisivos permanentes. As carcaças variaram quanto ao acabamento entre escores 2 e 4, sendo que 32% apresentaram cobertura de gordura escassa (escore ≤ 2) na época seca e 52% na época chuvosa. A estiagem prolongada afetou os resultados. Os dados de conformação indicaram mais de 90% das carcaças analisadas como retilíneas, sub-convexas e convexas, sendo que a maior parte delas pesou menos de 16@, peso mínimo recomendado pelo frigorífico. Foram tipificadas pela letra “I” 64% das carcaças analisadas, penúltima escala qualitativa no sistema oficial (B-R-A-S-I-L). Independente da época do ano, os bovinos abatidos na região oeste da Bahia resultaram em carcaças com reduzido padrão de qualidade em virtude do elevado grau de maturidade, conformação e acabamento inadequados e baixo peso. Melhoramento genético e manejo apropriado são necessários para a produção de carcaças de mais alto padrão de qualidade.
Publicado
07-02-2015
Como Citar
Quadros, D., Paes, B., Vieira, G., Andrade, A., Miranda, A., Araújo, J., & Azevedo, P. (2015). Classificação e tipificação de carcaças bovinas na região oeste da Bahia em duas épocas do ano. Boletim De Indústria Animal, 72(2), 102-110. https://doi.org/10.17523/bia.v72n2p102
Seção
QUALIDADE DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL