Manejo de campos de produção de sementes de Urochloa humidicola ‘comum’: II - Efeito de práticas culturais

  • Francisco Humberto Dübben de Souza Embrapa Pecuária Sudeste, São Carlos, SP
  • Roberto Molinari Peres Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP
  • José Luiz Viana Coutinho Filho Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP
  • Célio Luiz Justo Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios, Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de São José do Rio Preto, São José do Rio Preto, SP
Palavras-chave: colheita de sementes, florescimento, germinação, gramíneas, pastagens.

Resumo

Desde a década de 1970, sementes de Urochloa (syn. Brachiaria) humidicola ‘comum’ têm constituído fração importante do mercado brasileiro de sementes de pastagens tropicais cultivadas. Maior parte dessas sementes provém de áreas de pastagens nas quais os animais são excluídos desde a primavera até a colheita, no verão. As produtividades comerciais são baixas e variáveis, principalmente em consequência de falta de manejo apropriado à produção de sementes. A produção é prejudicada em relvados heterogêneos quanto à cobertura do solo, altura e constituição. O método de colheita mais utilizado é o da colhedeira automotriz, de reconhecida ineficiência quanto à recuperação das sementes produzidas. O uso desse equipamento é também limitado nesta espécie pela marcante associação entre o sincronismo floral e a degrana (queda) natural das sementes que resulta em curto período de conexão das sementes às inflorescências, fazendo com que permaneçam disponíveis a esse método de colheita por apenas 5 - 7 dias em cada safra. Antecipações ou atrasos da fase reprodutiva das plantas, obtidas por meio de manejo agronômico diferenciado, talvez possam proporcionar a distribuição temporal da produção na mesma safra. Este trabalho foi conduzido com o objetivo de avaliar efeitos de práticas culturais sobre a produtividade, a qualidade e o período de disponibilidade à colheita de sementes de U. humidicola ‘comum’. Em área anteriormente utilizada como pastagem nos anos de 1999/2000 e 2001/2002, foram avaliados os efeitos de alturas de corte (5 cm e 15 cm acima do solo, respectivamente, e testemunha [plantas não cortadas] associados ou não à remoção ou queima dos resíduos vegetais deles resultantes. Comparativamente à testemunha, os tratamentos resultaram em atrasos na época de maior disponibilidade de sementes puras germináveis à colheita. O acúmulo de biomassa, constituída por remanescentes de folhas e perfilhos mortos ou estéreis e seus segmentos, reduz a produtividade de sementes puras germináveis em U. humidicola ‘comum’. Os efeitos de formas de eliminação desse acúmulo dependem da quantidade acumulada. Entretanto, nos dois anos de experimento, corte das plantas a 5 cm do solo no início do período chuvoso, seguido de remoção dos resíduos desse corte possibilitou maiores produtividades de sementes puras germináveis. 
Publicado
05-10-2015
Como Citar
Souza, F., Peres, R., Coutinho Filho, J., & Justo, C. (2015). Manejo de campos de produção de sementes de Urochloa humidicola ‘comum’: II - Efeito de práticas culturais. Boletim De Indústria Animal, 72(3), 209-220. https://doi.org/10.17523/bia.v72n3p209
Seção
FORRAGICULTURA E PASTAGENS