#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul


NOTÍCIAS


12/07/2016

IZ realizará treinamento em exame para verificar eficiência dos vermífugos em pequenos ruminantes

A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, por meio da unidade laboratorial de referência em biotecnologia da produção animal de seu Instituto de Zootecnia, promoverá, no dia 26 de julho, das 8h às 17h, treinamento em realização de exame de fezes (Ovos por Grama, OPG) em pequenos ruminantes. Coordenada pela pesquisadora Cecília José Veríssimo, a formação terá carga horária de oito horas e já está com inscrições abertas.

Serão disponibilizadas 15 vagas destinadas a interessados em aprender e relembrar a fazer o exame de fezes em bovinos, ovinos, caprinos e equídeos. O investimento é de R$ 200. Os inscritos aprenderão na prática como efetuar o exame de fezes, a interpretação destes resultados e a importância deste exame nas criações. Todo o processo será acompanhado pelas pesquisadoras do IZ Cecília Veríssimo, 
Luciana Morita Katiki e por monitores treinados.

Para Cecília, o exame de fezes é muito importante porque os parasitas estão ficando cada vez mais resistentes aos vermífugos, sendo a única confirmação que se pode ter sobre a eficácia do produto que está sendo utilizado na propriedade. Vermífugos que faziam efeito há alguns anos já não estão tendo a mesma eficácia, de modo que todo produtor deverá testar, por meio do exame, se o produt
o foi eficaz ou não.

Para isso, basta ele enviar para um laboratório que realize o exame fezes acondicionadas em sacos plásticos, luvas ou material individual e descartável, devidamente identificadas, cerca de 10 dias após a vermifugação. O ideal é coletar as fezes antes de dar o vermífugo e 10 dias depois para se calcular a porcentagem de eficácia. A porcentagem ideal é de, no mínimo, 95%, porém, poucos vermífugos têm atingido esta porcentagem na última década. Portanto, o produtor deverá ficar alerta para este fato.

Ainda de acordo com a pesquisadora do IZ, a verminose causa diminuição no desempenho, podendo até matar, o que ocasiona grandes prejuízos, principalmente entre animais jovens. Na ovinocultura é uma causa do desinteresse e desistência de muitos criadores na espécie. Cecília Veríssimo ressalta que o problema da resistência anti-helmíntica é hoje encontrado em várias espécies (ovinos, caprinos, bovinos e equinos) e está espalhado por todo o Brasil. “Conhecer o problema ajuda a controlá-lo”, resume.

O IZ fica na rua Heitor Penteado, 56, Centro, Nova Odessa (SP). Para mais informações e inscrições acesse:
http://www.iz.sp.gov.br/evento.php?id=242.

Por Tatiana Kawakami e Hélio Filho.

Mais informações à Imprensa:
Assessoria de Comunicação
Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo
Instituto de Zootecnia
(19) 3476.9804

Veja todas as notícias



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir