#cancerdemama            #outubrorosa


NOTÍCIAS


11/11/2016

IZ recebe prêmio com pesquisa inovadora ao bem-estar de codornas

“O IZ tem importante colaboração estratégica com a transferência do conhecimento e tecnificação dos criadores, para incrementar a produção paulista de codornas.”

Congresso_UFLA_Coturnicultura_Lavras_IZ_out2016_

O projeto sobre o indicador de bem-estar de codornas japonesas (Coturnix.coturnix japonica), desenvolvido pelo Instituto de Zootecnia, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo foi premiado durante o VI Simpósio Internacional e V Congresso Brasileiro de Coturnicultura, realizado pelo Núcleo de Estudos em Ciência e Tecnologia Avícola, da Universidade Federal de Lavras, em Minas Gerais.

O projeto intitulado “Indicador imunológico de bem-estar de codornas em postura alojadas em diferentes densidades”, está associado à dissertação de mestrado da aluna do IZ, Daniela Fagotti Soares, orientada da pesquisadora Carla Cachoni Pizzolante e co-orientada de Keila Maria Roncato Duarte.

Pizzolante explicou que o alto número de aves em um mesmo recinto fechado, como gaiolas, tem gerado diversos questionamentos sobre bem-estar das aves. “O estudo foi desenvolvido com o objetivo de avaliar o bem-estar de codornas, submetidas a diferentes densidades de alojamento, por meio de indicador imunológico IgY nas gemas dos ovos."

As aves possuem capacidade de transferir anticorpos para a gema do ovo e sabe-se que há uma correlação significativa entre o nível de imunoglobulinas (Ig) total no soro e o nível de IgY total na gema do ovo.

Os resultados das análises das codornas submetidas ao tratamento com menores densidades de alojamento, apresentaram melhor estado imunológico e alocaram maiores quantidades de IgY nas gemas. Em resposta ao estresse ocorre o aumento de glicocorticoides, o que causa diversas alterações no sistema imunológico, uma vez que ocorre elevação dos níveis de corticosterona em aves e atrofia do tecido linfóide, gerando diminuição de células T e de anticorpos, com a inibição da resistência a infecções.

Congresso_UFLA_Coturnicultura_Lavras_IZ_out2016_Fabio Budino, Carla Pizzolante, Evandro Moraes

O Secretário da Agricultura e Abastecimento, Arnaldo Jardim, ressaltou que o prêmio reforça a qualidade das pesquisas dos Institutos mantidos pela Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta) e considerou que as inovações tecnológicas em coturnicultura são fundamentais para garantir a qualidade exigida pelo produto no mercado.

“O IZ atende com excelência as propostas tecnológicas estabelecidas pelo Governo Geraldo Alckmin, ao apresentar pesquisas inéditas, com importantes parceiros, garantindo, com seus resultados, a segurança alimentar e o bem-estar animal”, disse.

A pesquisadora detalhou que o projeto é inovador, pois trouxe novas diretrizes para o bem-estar das aves, tanto do ponto de vista fisiológico, como comportamental. Ela explicou que durante o estudo não foi preciso retirar a ave da gaiola, para as análises. “Apenas os ovos foram manuseados e levados para o laboratório, o que diminuiu o estresse e melhorou o desempenho animal, resultando na alta resistência imunológica da ave”, disse.

O setor de codornas é a cadeia produtiva que mais cresce no Brasil, comparadas a outras. Em 2014, o rebanho bovino leiteiro cresceu 2,1%, de búfalos 1,7%, bovino de corte está mais produtivo, mas manteve o número de cabeças, e de codornas cresceu 13% ao ano e a produção aumentou para 16,5%. Percebe-se que houve um ganho de tecnologia – seja ração, genética. O Brasil já alcançou em 2016, cerca de 22 milhões de aves alojadas.

Congresso_UFLA_Coturnicultura_Lavras_IZ_out2016 - Evandro

O projeto vencedor, recebeu o apoio da Granja Vicami, por intermédio do proprietário Osvaldo Esperança, que doou todas as codornas, assim, como a Granja Kakimoto que subsidiou todos os insumos utilizados no projeto. E as análises laboratoriais foram todas feitas no IZ pela pesquisadora Keila Duarte e Luciana Katiki, otimizando a logística do trabalho de pesquisa.

Carla Cachoni Pizzolante e José Evandro de Moraes ainda explanaram sobre o tema “Atualização em bem-estar e ambiência de codornas”. 

Evandro comenta que São Paulo, sendo o maior consumidor de codornas, tem grande potencial de crescimento, e que o IZ tem importante colaboração estratégica com a transferência do conhecimento e tecnificação dos criadores, para incrementar a produção paulista. “Temos potencial para ser ponto de fomento, conhecimento, extensão com dias de campo, cursos e visitas às propriedades”, enfatizou.

O pesquisador Fabio Enrique Lemos Budiño, que também participou do Congresso, explicou que os projetos com codornas são novos no IZ, mas em um ano e meio, a equipe já colocou em vigor dois importantes projetos, dentre eles o premiado no evento. “Para o IZ, o evento foi uma relevante vitrine na difusão das novas tecnologias geradas nestes 18 meses”.

Budiño ainda apresentou mais três trabalhos com os temas “Alternativas ao uso de antimicrobianos sobre o desempenho de codornas japonesas na fase inicial”, “Carcaça e vísceras de codornas japonesas na fase inicial recebendo aditivos alternativos ao uso de antimicrobianos” e “Histomorfometria do duodeno de codornas japonesas recebendo aditivos alternativos ao uso de antimicrobianos”, com a participação do aluno de mestrado do IZ, Daniel Malagoli.

Os projetos de pesquisas apresentados no Congresso contam com a participação dos alunos de pós-graduação do IZ, curso de Mestrado em Produção Animal Sustentável, além de alunos de iniciação científica (PIBIC) e estagiários de outras universidades, orientados pelos pesquisadores do Instituto.

Congresso

Este é o principal evento em coturnicultura da América Latina, com grande visibilidade internacional – participaram deste profissionais do Egito, PaquistãoColômbia, assim, no encontro anterior, estiveram Japão e Estônia.

De acordo com os organizadores do evento, com o aprimoramento e tecnificação da atividade avícola, cresce a importância e a demanda de discussões de temas relacionados à área, como produção, nutrição, ambiência, bem-estar, melhoramento genético e mercado de codornas de corte e postura.

E, por meio da integração de conhecimentos, é possível atender o setor produtivo com tecnologias que possibilitem a condução de sistemas de produção tecnicamente viáveis, economicamente rentáveis e ecologicamente sustentáveis.

Participam do evento estudantes, pesquisadores, professores, técnicos, empresários e trabalhadores do setor avícola.


Lisley Silvério (MTb. 26.194)

Assessora de Imprensa
Secretaria de Agricultura e Abastecimento SP
Instituto de Zootecnia

Fone: (19) 3466.9434
E-mail: lisley@iz.sp.gov.br
www.iz.sp.gov.br

Veja todas as notícias



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir