#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul


NOTÍCIAS


04/04/2012

IZ promoveu curso sobre uso adequado de pipeta em análises laboratoriais

Como aumentar a confiabilidade nas medidas e a durabilidade das pipetas Gilson foi tema do curso promovido pelo Instituto de Zootecnia (IZ/APTA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo (SAA), através da coordenação do Laboratório de Genética do IZ, em parceria com a empresa Analítica e Gilson do Brasil.

 

Com o objetivo de divulgar e aprofundar o uso adequado, manutenção e calibração de pipetas Gilson, que são utilizadas em análises laboratoriais, especialmente as moleculares, a equipe do Laboratório de Genética visou treinar os participantes – técnicos de laboratório, assistentes de pesquisa, funcionários de apoio à pesquisa, alunos de pós-graduação, pesquisadores –, para a relevância em obter resultados confiáveis, prolongar a vida útil das pipetas e reduzir os custos de manutenção.

 

O curso abordou sobre pipetas de deslocamento de ar e de deslocamento positivo; como realizar uma boa medida - técnicas de pipetagem; significado das especificações - exatidão e precisão; verificação da perfomance; manutenção básica; e calibração. Os participantes puderam tirar dúvidas específicas e após a palestra tiveram a inspeção gratuita das pipetas que utilizam em laboratorios.

 

Talita Perucini representante de Bioprodutos da Analítica ressaltou que este curso contribui para que os profissionais utilizem corretamente as pipetas, “aumentando a vida útil e diminuindo o erro operacional e aperfeiçoando a técnica de pipetagem”.

 

A palestrante Roberta Novaes, gerente de produto da Gilson Brasil, mestre em Biotecnologia, ressaltou que a orientação prévia, aos operadores, diminui o desperdício de materiais e resguarda a obtenção de resultados confiáveis e com exatidão. “Os usuários não devem ter acesso direto a pipetagem sem serem treinados”, afirmou.

 

Roberta destacou alguns pontos de atenção na atividade como profundidade de imersão da pipeta; rinsagem inicial; modo reverso para líquidos voláteis de baixa e média viscosidade; e principalmente a manutenção preventiva – troca de Selo e O’ring e porta cone.

 

De acordo com a palestrante, a limpeza das pipetas e o ajuste de volume – sempre do maior para o menor (efeito Paralax) – também são primordiais. Além de verificar a influência da temperatura na pipetagem; saturação do ar dentro da pipeta ao lidar com voláteis; inclinação da pipeta (reto ao aspirar e encostado no tubo ao dispensar); e raspar o tubo com a ponteira após a dispensa para eliminar a última gota.

 

“Outro fator relevante é não reutilizar a ponteira e escolher uma de qualidade – de polipropileno puro, altamente pólido (sem rebarbas, sem corante, sem excesso de plástico, sem variação de coloração”, detalha Roberta Novaes.

 
Veja alguns momentos do Curso de Pipetagem na galeria de fotos - www.iz.sp.gov.br/galeria/galeria.php?id_galeria=101
 

 

Assessora de Comunicação Institucional - IZ

LISLEY SILVÉRIO - Jornalista resp.

TATIANA KAWAKAMI – Publicitária

AMANDA DENADAI – Estagiária de Publicidade

Fone: (19) 3466.9434 Fax: 3466.9413

E-mail: imprensa@iz.sp.gov.br  | lisley@iz.sp.gov.br 

www.iz.sp.gov.br  

 

Instituto de Zootecnia (IZ/APTA/SAA-SP)

Rua Heitor Penteado, 56

CP 60 cep 13460-000

Nova Odessa (SP)

 

 

Redes sociais SAA: Twitter, Facebook, YouTube e Flickr

http://twitter.com/agriculturasp
http://www.facebook.com/agriculturasp
http://www.youtube.com/agriculturasp
http://www.flickr.com/photos/agriculturasp

 

 

 

 

 

Veja todas as notícias



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir