#cancerdemama            #outubrorosa

Bulletin of Animal Husbandry
Volume: 29 - Número: 2 - Pg: 319-330 - Ano: 1972


Autores
C. de S. Lucci, E. A. N. Freitas e L. Melotti.


Silagem de milho mais uréia como alimento volumoso para as vacas em lactação.
Resumo

A adição de 0,5% de uréia à forragem de milho, no momento de ensilar, não aumentou o teor de N mas alterou a cor, odor, pH e palatabilidade da silagem resultante.Foram utilizadas doze vacas para comparação de silagens tratadas ou não com uréia, dentro de 2 níveis protéicos: 100% e 80% das exigências do N.R.C., formando-se 4 tratamentos em um delineamento “switch-back”, com 28 dias por período experimental. Como resultados, as produções de leite foram significativamente maiores com silagens de milho não tratadas, em qualquer dos níveis protéicos. Quanto ao consumo das silagens, aquela com uréia foi significativamente menos consumida no nível 100% de proteína, mas no nível 80% a mesma situação não se mostrou estatisticamente significativa.As silagens de milho empregadas continham baixo teor de matéria seca (cerca de 22,0%), o que pode ter influído negativamente no aproveitamento da uréia por este sistema.


Corn Silage with Urea for Lactating Dairy Cows.)
Abstract

Twelve crossbred (European vs Zebu) cows were used in a switch-back type of experiment, to compare four different treatments: A) Com silage with urea plus concentrate mixture, at 80% of the cows’ protein requirements; B) Com silage (no urea) plus concentrate mixture at 80% of the cows’ protein requirements; C) Com silage with urea plus concentrate mixture at 100% of the cows’ protein requeriments; D) Com silage (no urea) plus concentrate mixture, at 100% of the cows’ protein requirements.


Íntegra (PDF)




Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir