#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul

Bulletin of Animal Husbandry
Volume: 56 - Número: 2 - Pg: 187-193 - Ano: 1999


Autores
A. J. Porto, F. Okamoto, S. T. J. Tinoco


Avaliação de níveis de ácido naftaleno-acético no pegamento de estacas de amoreira.
Resumo

 O experimento foi conduzido na Estação Experimental de Zootecnia, Gália-SP, no período compreendido entre maio a agosto de 1996, tendo por objetivo avaliar os efeitos do ácido naftaleno-acético (ANA) no pegamento de estacas de amoreira. Os cultivares de amoreira estudados foram o IZ13/6, IZ29/1 e IZ11/9, submetidos aos seguintes tratamentos: T0-água destilada, T1-solução com ANA 2,0%, T2-solução com ANA 3,5%, T3-solução com ANA 5,0% e plantadas sob duas condições de solo, com e sem irrigação. O delineamento estatístico adotado foi em blocos casualizados em esquema fatorial do tipo 3X4X2, com 3 repetições, constando 10 estacas em cada parcela. Entre os cultivares de amoreira o IZ13/6 foi o que apresentou a menor porcentagem de pegamento; o tratamento com água destilada propiciou os melhores resultados em relação aos tratados com ANA, e os tratamentos irrigados e não irrigados não apresentaram diferenças significativas.


Evaluation of naphthalene acetic levels on sprouting of mulberry cuttings
Abstract

The trial was carried out at the Estação Experimental de Zootecnia de Gália, State of São Paulo, from May to August 1996, with the purpose to evaluate the naphthalene acetic acid (NAA) effects on sprouting of mulberry cuttings. The experimental design was completely randomized blocks arranged in 3X4X2 factorial, with 3 replications and 10 cuttings for experimental unit. The cuttings of IZ13/6, IZ29/1 and IZ11/9 cultivars received previous treatment with distilled water (T0), solution with NAA 2.0% (T1), solution with NAA 3.5% (T2) and solution with NAA 5.0% (T3) and were planted under two soil conditions, with and without irrigation. Based in the results, was observed that the IZ13/6 cultivar presented the smallest percentage of sprouting; the treatment with distilled water was better than the treatments with NAA, which no presented significant differences between themselves, and the treatments with or without irrigation no varied.


Íntegra (PDF)




Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir