#NovembroAzulOficial            #NovembroAzul

PUBLICAÇÕES >> Dissertações de Mestrado
Avaliação de alternativas ao uso de antibióticos para a produção de codornas

Autores
Daniel Malagoli

Resumo

A produção de codornas vêm aumentando a cada ano no Brasil. Com a proibição do uso de antibióticos por países importadores e restrições no Brasil, a descoberta por novas fontes de tratamento preventivo e de promotores de crescimento se faz necessário. Há muito se tem estudado o uso de probióticos, prebióticos e simbióticos como alternativa. Esse estudo objetivou avaliar a resposta de codornas a diferentes aditivos alternativos ao uso de antibióticos como promotores de crescimento. O presente projeto de pesquisa foi desenvolvimento pelo Instituto de Zootecnia do estado de São Paulo em parceria com a Unidade de Pesquisa e Desenvolvimento de Brotas / APTA Regional, no setor de Coturnicultura, onde foram estudadas codornas japonesas em fase inicial (1-35 dias). Foram utilizadas 912 codornas, em delineamento experimental inteiramente casualizado, distribuídas em quatro tratamentos com 6 repetições cada, sendo 38 aves por unidade experimental. Os tratamentos utilizados foram: T1=ração basal com antibióticos, T2= ração basal sem antibióticos, T3= ração basal com probióticos e T4= ração basal com água modificada. A avaliação de desempenho zootécnico foi acompanhado semanalmente e não mostraram diferenças significativas estatisticamente (p<0,05). Para as avaliações de carcaça e vísceras, foi eutanasiado 1 animal de cada repetição, por deslocamento cervical, respeitando um período de jejum de 8 horas. Nas avaliações de carcaça e rendimento de carcaça e cortes, foi observado que animais que receberam probióticos (T3), apresentaram rendimento de peito de 4,29% e foi superior (p<0,05) ao grupo que recebeu ração sem antibiótico (T2). A dieta com adição de antibiótico (T1) propiciou maior peso das asas (6,48g) e o tratamento com água modificada (T4) o menor (5,01g)(p<0,05). Nas avaliações histomorfométricas, foi observado menor largura de vilo nos tratamentos 3 e 4, quando comparados com os tratamentos 1 e 2 (p<0,05), indicando maior capacidade de absorção dos nutrientes pela mucosa.Foi possível concluir que é possível a substituição de antibióticos por probióticos em ambiente com alto nível sanitário, sem que haja prejuízos para a produção e com possibilidade de maior lucrabilidade, uma vez que a carne de peito é a de maior valor agregado, na avicultura. Novas pequisas se fazem necessárias, visando custos dos tratamentos e tratamentos compostos, podendo ser uma nova alternativa ao uso de antibióticos na coturnicultura.
 
Palavra- chaves: Microbiologia, Peso da carcaça, Probióticos, Sistema digestivo.

Íntegra (PDF)


Veja todas as publicações



Envie a um amigo

Adicione ao Favoritos

Imprimir